Onde se está pretendendo chegar?

No Bom Dia Brasil da rede Globo, ao comentar o roubo de energia por condomínios de média ou alta renda, Chico Pinheiro encerra dizendo: “E estes mesmos que roubam energia, depois querem criticar os políticos”.

Este tipo de silogismo, aparentemente lançado pelo Leandro Karnal, apregoa que os desmandos e a corrupção que assolam o país se devem à cultura da sociedade e não à falta de caráter de quem o governa.

Se os crimes e a corrupção retratados nos impressionantes volumes de dinheiro desviados dos cofres públicos e por consequência da própria sociedade relegando-a à completa insegurança, ao amargor das filas dos ambulatórios sem atendimento e sem remédios e ao altíssimo nível de desemprego, são devidos aos desvios culturais do povo, todo crime está liberado.

O povo rouba e, portanto os políticos e empresários corruptos podem roubar. O povo mata e, portanto o assassinato deixa de ser crime para ser decorrência da cultura social. O povo estupra e, portanto o estupro de qualquer um deve ser anistiado.

Não há crime que não ocorra no seio da sociedade, não só do Brasil como de todo o mundo. Então o negócio é liberar geral. Os corruptos e ladrões passam a ser vítimas de uma sociedade corrupta e ladra e, portanto, não devem ser nem ao menos criticados.

Que raciocínio é este que abona o crime dos grandes porque os pequenos também os cometem? Pode um pai justificar o roubo de um banco porque seu filho roubou uma borracha de um colega na escola?

O povo está estrangulado por uma carga tributária da qual não pode se livrar porque é obrigado a comer e a consumir diversos produtos, alguns compulsórios como energia, água, esgoto, IPTU, IPVA e inúmeros outros cuja inadimplência o levará à fome ou ao corte dos serviços em muitos casos e em outros no corte de seu credito e até mesmo a execuções judiciais. Porque o povo não é, igualmente, beneficiário dos argumentos culturais? Se o povo não paga por que teria eu que pagar?

Para o cidadão comum este argumento não cola. Por que para os políticos e grandes empresários corruptos deveria valer?

O argumento da cultura justificando o crime está se arraigando na própria sociedade. O Karnal tentou justificar o crime dos corruptos porque algumas pessoas andavam pelo acostamento. Com este argumento, ampliado, consegue justificar todos os grandes crimes do mundo como perseguições políticas, assassinatos em massa, genocídios e muitos outros equivalentes.

É lamentável que muitas pessoas, de alto nível social e cultural caiam nesta esparrela e saiam por aí defendendo o crime sem ter a menor noção do que estão dizendo. E muita gente está se penitenciando por se sentir culpada pelos crimes dos corruptos e tiranos.

Aliás, este é o objetivo. Culpar a sociedade por tudo de ruim que acontece desde a corrupção até as variações climáticas, justificando assim a manutenção e o desenvolvimento da gigantesca máquina totalitária que punirá o povo por provocar a desgraça de si mesmo por ser o culpado por todos os crimes do mundo.

Onde se está pretendendo chegar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *