Qual a origem de todos os problemas?

Há um capítulo no meu livro que tem um título muito parecido com este. Nele eu me proponho ao grande desafio de descobrir, afinal e obviamente, a origem de todos os problemas. Vou falar um pouco sobre o tema, mas sem me aprofundar como na obra.

O fato é: se alguma coisa deve se portar de um jeito e se porta de outro, há um problema. Ou seja, todos os problemas podem ser associados a um tipo de conflito, de discordância, de desordem.

Vejamos um caso comum, do dia a dia:

Um casal se apaixona, e decide levar a vida juntos. Mesmos gostos, mesmos sonhos, imaginam um futuro cercado de filhos e netos. Duas pessoas olhando para o futuro juntos, como dois vetores paralelos. O tempo passa e, com sorte, a vida será sempre assim.

No entanto, inúmeras variáveis vetoriais rondam este relacionamento. Com o tempo abrem-se brechas que podem interferir no sistema até então perfeito. Sem cuidado, as diferenças, antes minimizadas pela paixão, se manifestam.Os vetores “saem” de posição, entram em conflito e podem até se tornar diametralmente opostos.

A família, os amigos, o trabalho reivindicam seus lugares. Até mesmo transformações pessoais, provocadas pelo tempo, passam a atuar no relacionamento, muitas vezes, de forma negativa, tornando-o insustentável.

Vejamos agora, outro caso, também comum, mas num ambiente empresarial.

Ao morrer, um empreendedor deixa o comando de sua empresa para os três filhos. Nomeia um deles presidente e os outros dois vice-presidentes.

A família, que sempre viveu em perfeita harmonia, é atingida por uma até então desconhecida conjunção vetorial. Os dois irmãos que ficaram em posições inferiores unem-se e passam a questionar o lugar do irmão presidente.

Instaura-se uma guerra interna, com reflexo em toda a organização, que passa a perder energia e rentabilidade. Quando uma situação assim se torna pública, as repercussões no mercado podem ser desastrosas.

Mas afinal, o que aconteceu ? O que causou os dois problemas?

O mesmo que acontece em todos os casos que se manifestam conflitos. Mesmo com a maior boa intenção do mundo, pequenas coisas, ou até mesmo uma atitude aparentemente simples pode criar uma conjunção vetorial desfavorável e botar tudo a perder.

Ou seja, se quisermos ser felizes em nossas vidas pessoais, ou se quisermos harmonia e lucro em nossas empresas, precisamos alinhar os vetores. Mantê-los paralelos ao menor sinal de conflito e, preferencialmente, fazer com que se somem positivamente.

Podem observar. E eu dou os parabéns a quem encontrar um problema nas empresas que não esteja intimamente ligado a conjunções vetoriais desfavoráveis.

Vale a pena tentar encontrar.

Qual a origem de todos os problemas?
Classificado como:                        

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.