A fábula do Sapo e do Escorpião repaginada

O Sapo Venenoso e o Escorpião Venenosíssimo eram os dois vilões da floresta. Durante anos roubaram, trapacearam e enganaram os outros animais habitantes da mata, conseguindo, por sua sorte inigualável, manter-se imunes a qualquer punição.

Um dia a casa começou a cair e viram-se ameaçados de execução por parte dos demais membros daquela sociedade animal. A única salvação possível seria fugir para a outra margem do rio onde não eram conhecidos e poderiam continuar sua maratona de crimes impunemente.

O problema é que o Escorpião Venenosíssimo não sabia nadar e para atravessar o rio precisava do auxílio do Sapo Venenoso, até então seu inimigo figadal.

O Escorpião Venenosíssimo chegou para o Sapo Venenoso e disse:

“Amigo Sapo Venenoso, estamos ferrados e somente se nos unirmos poderemos nos safar desta enrascada”, a que o Sapo Venenoso respondeu: “Ok, podemos nos unir neste momento, mas tens que jurar que não vais me ferroar na travessia”.

O Escorpião Venenosíssimo jurou que não atacaria o Sapo Venenoso, mesmo porque se o atacasse ambos morreriam afogados. E sem mais delongas, o Escorpião Venenosíssimo subiu nas costas do Sapo Venenoso e lá se foram em direção à salvação que os aguardava na outra margem do rio.

No meio do caminho, o Escorpião Venenosíssimo não resistiu e ferroou o Sapo Venenoso no meio das omoplatas e ambos mergulharam para a morte. A última frase do Escorpião Venenosíssimo foi: “Desculpe amigo Sapo Venenoso, mas foi mais forte que eu. É da minha natureza”.

E assim o Escorpião Venenosíssimo teve sua presidenta cassada e o Sapo Venenoso acabou na cadeia em Curitiba.

Michel Temer, em entrevista à Band News falou exatamente isto, em outras palavras. O PT prometeu salvar o Eduardo Cunha dando seus três votos no conselho de ética que o julgava e o Eduardo Cunha prometeu não aceitar qualquer pedido de impeachment contra a Dilma Rousseff. No meio do rio, o PT, Escorpião Venenosíssimo, não resistiu aos apelos de sua natureza e retirou seus três votos a favor do Sapo Venenoso, Eduardo Cunha. Em represália, sentindo que afundava apunhalado pelo seu inimigo aliado naquele momento, o Sapo Venenoso aceitou o pedido de impeachment e a Dilma acabou cassada.

Acho fantástica a forma descarada como Temer narra o episódio. Trampa entre PT e PMDB. Não fosse a natureza do Escorpião Venenosíssimo PT, a Dilma estaria no governo e o Cunha livre, leve e solto, gozando das benesses conquistadas pela sua sanha predatória do dinheiro do contribuinte.

Na república romana, em momentos de grande convulsão social ou de guerra, o senado escolhia um ditador que assumia o poder total do estado. O poder do ditador se mantinha até que a situação voltasse à normalidade. Aí o senado reassumia suas funções e a democracia ficava restabelecida.

Não sei o costume romano se aplicaria convenientemente ao conturbado momento pelo qual o país passa, mas que precisamos de uma ação definitiva para acabar com a bandalheira em que estamos mergulhados, isto ninguém pode negar.

A ministra Carmem Lúcia já está providenciando a criação de uma força tarefa para acelerar os trabalhos do ministro Fachin no processo contra a verdadeira multidão de Sapos Venenosos e Escorpiões Venenosíssimos. Com sorte, todos acabarão afogados no pântano criado pelas suas próprias atitudes.

Clique aqui para ler a notícia

 

A fábula do Sapo e do Escorpião repaginada

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.